sexta-feira, 18 de junho de 2010

José de Souza Saramago



Perdemos neste dia 18 de Junho de 2010, o ateu, serralheiro, funcionário publico, marxista, escritor, poeta, romanticista: José de Souza Saramago. 


"Na ilha por vezes habitada

Na ilha por vezes habitada do que somos, há noites,
manhãs e madrugadas em que não precisamos de
morrer.
Então sabemos tudo do que foi e será.
O mundo aparece explicado definitivamente e entra
em nós uma grande serenidade, e dizem-se as
palavras que a significam.
Levantamos um punhado de terra e apertamo-la nas
mãos.
Com doçura.
Aí se contém toda a verdade suportável: o contorno, a
vontade e os limites.
Podemos então dizer que somos livres, com a paz e o
sorriso de quem se reconhece e viajou à roda do
mundo infatigável, porque mordeu a alma até aos
ossos dela.
Libertemos devagar a terra onde acontecem milagres
como a água, a pedra e a raiz.
Cada um de nós é por enquanto a vida.
Isso nos baste."



Foi-se, deixando de herança todos incríveis escritos. Com seu jeito único de escrever, sem travessões, nem muitos parágrafos, considerados por uns até "mestre e titã da literatura contemporânea" fez história, marcou sua personalidade e demonstrou seus pensamentos no que diz respeito a religiosidade, usou de sua liberdade de expressão, se opôs a instituição igreja, sua ideologia e à seguidores assíduos da mesma, sem medo. Sem medo de viver, viveu. Como tinha de ser, se foi. Contudo Viveu, não só no sentido literal da palavra.


"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais." Saramago


16.11.1922
18.06.2010

5 comentários:

Joyce disse...

"Se podes ver, repara..."

de laço de fita disse...

Saramago foi - é e será - o UP da Literatura.

Menina de laço de fita disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Y a s h a disse...

Esse sim viveu. Viveu e acredito que se foi feliz, deixando tanta coisa que se faz seu espelho aqui na terra. Adoro seus escritos... Realmente, uma perda grande.


E, estou de volta, flor. Tentando recuperar, aos poucos, o tempo 'perdido'. Voltando à civilização. Haha.

:**

Felipe Braga disse...

Uma grande perda, sem dúvida! Eu me identificava muito com ele. Mas já é um imortal.
Adorei sua colocação no meu blog. rs

Beijos.