segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Nos olhos dela

Reluziam medo, esperança, sarcasmo. 
A menina tinha sua subjetividade exalada nas notas cantadas.
Uma ou duas palavras, talvez compreendidas
Mas ela não se importava, 
Sempre soube do mundo e suas terríveis fronteiras invisíveis postas pra afastar. 
Ela não mais chorara, compunha.
Compunha e cantara.
Choro 'metamorfoseado em cifrão'

4 comentários:

Essência e Palavras disse...

Que lindo, doce demais suas expressões.
Beijo grande, querida.

Y a s h a disse...

Deve ser o choro mais lindo...

"Acordes em oferta, cordel em promoção, a Prosa presa em papel de bala, música rara em liquidação..."

Beijo, flor. :*

Rodrigo Rocha disse...

Dayane passei para conhecer seu blog ele é not°10, show, espetacular, muito maneiro com excelente conteúdo você fez um ótimo trabalho desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família e desejo um FANTÁSTICO ANO DE 2011
Um grande abraço e tudo de bom

.LuC disse...

Choro em versos, gostei!
Parabéns Day