quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Sobre o tempo, valor e pessoas.

Ok Saudade, desfrute de meu ser. Consumá-o passivamente enquanto meus olhos lacrimejam e veem em câmera lenta, todas urbanas cenas mistas de falação e barulho, ora chuva, ora sol sobre as sombrinhas abertas, por entre a janela busão - como se diz por aqui -  Que me conduz ao mesmo lugar de todos os mesmos dias, 
Até acabarem e restar novamente a saudade que me consumirá o resto da alma.

8 comentários:

Essência e Palavras disse...

Perfeito! Saudoso! Intenso!

saudades de ti, menina!

beejo e boa sexta...

Nathi disse...

Me fez lembrar minhas saudades já guardadas...

Gostei!

Tati disse...

'ai'

Mariah disse...

pegue outro busão com outro destino...encontre lá novas pessoas!

Jorge Oliveira disse...

Saudade é um mal necessário.
Belo!

Desmanche de Celebridades disse...

O Onibus faz sempre o mesmo itinerario. O taxi vai aonde vc mandar ele ir. Tente pegar um taxi.

Abraços.

Felipe Braga disse...

À deriva, assim como eu? rs
Amo reflexões inteligentes.

Parabéns.
Beijos.

Walter Filho disse...

Saudade do início ao fim!